Notícias

Febem-SP inicia a desativação do Complexo Tatuapé

Por Assessoria de Imprensa, em 28/03/06 15:39

Berenice, Alckmin e Nagashi Furukawa conversam sobre a desativação do Tatuapé

O primeiro passo para a desativação das 18 unidades de internação do Complexo do Tatuapé  foi dado nesta quarta-feira, dia 29, com a demolição da UI-33 (Tom Jobim). A ação foi acompanhada pelo governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, pelo secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, e pela presidente da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor, Berenice Giannella.

Juntos, eles participaram da cerimônia simbólica que marcou a derrubada da primeira parede do complexo, que a partir do próximo ano será ocupado pelo Parque do Belém.  O evento contou com a presença de parlamentares, representantes do Poder Judiciário e de entidades civis da região. Com uma população superior a de municípios paulistas como Alvilândia, Borá, Dolcinópolis, Flora Rica e Santa Salete, o maior complexo da Febem conta com 230 mil m² de área, onde mais de 1.200 adolescentes são atendidos por cerca de 1.500 funcionários.

Imagem mostra a demolição da unidade 33, primeira a ser desativada pelo governo para a construção do parque

Como surgiu o Complexo Tatuapé - Em 1902, o então chefe da Polícia de São Paulo, Cardoso de Almeida, desenvolveu um projeto de segurança que previa a criação de um instituto disciplinar para jovens infratores. O local escolhido pelo Governo do Estado para sediar o novo empreendimento foi a Chácara do Belém, onde hoje está localizado o Complexo do Tatuapé.

A antiga casa foi desapropriada e, em pouco tempo, foi erguido um pequeno prédio, batizado de Escola Correcional. A proposta inicial do projeto era que o local serviria de abrigo para jovens abandonados e pequenos criminosos, que até então ficavam em cadeias normais, ao lado de adultos. Registros apontam que o primeiro adolescente chegou ao local no dia 23 de fevereiro de 1902.

Berenice Giannella assume o comando da retroescavadeira e derruba mais uma parede da UI-33

O futuro do Tatuapé
- Grande e antigo, o modelo arquitetônico do Complexo Tatuapé, hoje em dia, já não faz parte dos padrões adotados pelo Poder Público para abrigar adolescentes em conflito com a lei. Daí a necessidade de desativar totalmente o local que, dentro de alguns meses, será transformado em uma grande área de lazer, batizada de Parque do Belém.

“Aqui nós vamos ter um belo parque, vamos aproveitar todos os campos de futebol, todas as quadras poliesportivas e o prédio tombado pelo Condephaat. A cidade vai ganhar um grande parque”, afirmou o governador.

Alckmin também informou que o parque será implantado em duas etapas. A primeira fase está localizada na área que fica de frente para a Avenida Celso Garcia e ao lado da Polícia Militar. A previsão é que a demolição da unidade seja concluída em 90 dias e a implantação do parque, que está em fase de licitação, deve começar em junho. “A segunda etapa não vai ser feita agora, mas já começa também a transferência dos adolescentes. Até o final do ano, toda a Febem Tatuapé desativada e, com isso, se encerra esse modelo centralizado”, disse.